TEMPO DE RECOMEÇO

           Aos sessenta e três anos, resolvi me aposentar, decidi que enfrentaria o medo do futuro pós aposentadoria, a questão que me assombrava, o que fazer depois? Do meu tempo? Da minha vida?

        Estava receosa, amava com paixão o que fazia, meu trabalho me realizava, poderia produzir até a exaustão, me sentido realizada ao final pelo resultado, pela certeza de um trabalho bem-feito. Assim, temia o que a tão falada inatividade me traria.

            Assim, em fevereiro comecei a percorrer esse caminho.

            A grande e reveladora decepção. Amigos de longa data.

            Sabe, aquelas pessoas com quem conviveu por quase trinta anos, aquele chefe próximo que podia contar com sua disponibilidade quando precisava, aquela amiga que estava sempre precisando de sua ajuda, enfim, as pessoas que erroneamente considerou amigas, elas simplesmente a apagam, acabou sua utilidade para elas.

           Isso é ruim? Não. É ótimo, para quem está começando uma NOVA VIDA. Sim, deixar para trás o que nada acrescenta, relações tóxicas e deprimentes. Assim, me peguei investindo mais na minha família negligenciada por uma jornada de trabalho insana; e novidade, investindo em mim.

          Nos dois primeiros meses, descobri a preguiça e a vontade de não fazer nada, além de ler, assistir filmes, passear e dormir. O paraíso. Mas, de repente, me veio a paranoia, não estou sendo útil, e bateu a ansiedade, pressão e coração reclamaram. Várias internações nos hospitais, inúmeros exames, até que um médico jovem e inexperiente me internou e chamou um psiquiatra. E ele tinha razão, estava me matando com a minha ansiedade.

           Parei e me olhei. Não preciso provar nada a ninguém, tenho apenas que descobrir o que pode me fazer feliz, então, parti nessa viagem comigo mesma, me descobrindo, e está sendo muito bom, de vez em quando, tropeço, mas sigo em frente.

       Voltei a trabalhar, nos dias e horário que defino, receberei a minha carteira da OAB, porque agora não sou mais impedida de advogar, voltei a estudar, porque amo aprender coisas novas, porém, nada me empata, como tenho feito, de sair em qualquer horário e ir passear no shopping, tomar um sorvete ou simplesmente usufruir o prazer de estar na companhia de pessoas que amo.

      Portanto, valeu a pena, precisei apenas dizer um grande F….-se, para algumas pessoas e deixá-las para trás, e seguir em frente cativando e cultivando amizades que se tornaram mais sólidas e que são valorosas.  

Como Recomeçar a Vida em Qualquer Idade | Ivan Maia

Este vídeo é imperdível.